Agência de Turismo e Operadora de Turismo - Blog Nattrip

Codex Calixtinus: O Guia do Peregrino no Caminho de Santiago

O Liber Sancti Jacobi, ou Codex Calixtinus é um manuscrito de meados do século XII. Uma enciclopédia em 5 volumes, sendo mais conhecido popularmente pelo seu livro V, que se constitui do mais antigo guia para os peregrinos que percorriam o Caminho de Santiago de Compostela. O livro V apresenta conselhos, os perigos existentes, descrições do percurso e obras de arte nele existentes, os usos e costumes das populações que viviam ao longo da rota. Os demais livros do códice contêm sermões, narrativas de milagres e textos litúrgicos diversos relacionados com o apóstolo São Tiago.

Codex Calixtinus

Origem do Codex Calixtinus

Embora sua origem foi de autoria supostamente do Papa Calisto II, o manuscrito foi na verdade redigido por vários autores, no período entre 1130 e 1160, e caracteriza-se pelo belo latim empregado e por seu elevado valor literário. O exemplar mais antigo, conservado na Catedral de Compostela, é datado entre 1150 e 1160. O códice sofreu intervenção de restauração em 1966, ocasião em que lhe foi reincorporado o Livro IV, que dele havia sido destacado em 1609. O livro IV, “Historia Karoli Magni et Rothalandi”, narra a história de Carlos Magno e de Rolando na Hispania em um tom épico e fantástico. Conhecido como a “crónica pseudo-Turpin”, por ter sido atribuída ao bispo Turpin de Reims, mostra um Carlos Magno descobridor da tumba do apóstolo Santiago e criador dos inícios da peregrinação a Compostela e da sua igreja.

Este livro IV foi muito difundido na Idade Média em toda Europa e serviu de inspiração a vários cantares feitos na França e Itália. O livro V, último da codificação, “Iter pro peregrinis ad Compostellam”, é conhecido como Guia do Peregrino de Santiago de Compostela. Atribuído a Aimerico Picaud, foi escrito entre os anos 1135 e 1140. O texto é um conjunto de conselhos práticos para os peregrinos, baseado no próprio percurso do autor, com os lugares onde descansar, qualidade das águas, os perigos a evitar, as relíquias a venerar, as gentes e cidades do caminho ou os santuários a visitar antes de chegar à catedral de Santiago de Compostela.
(texto com base em informações obtidas na WikiPedia)

O Caminho das Estrelas

Segundo o Codex Calixtinus, na Galícia, nos primeiros tempos de peregrinação, era comum darem informações falsas e enganarem os peregrinos que não conheciam o local. Isso mudou com o tempo e hoje é um dos trechos com melhor acolhida a todos os que trilham as sendas ali existentes rumo a Santiago de Compostela. Longe das luzes das cidades, trilhando o Caminho Francês para Santiago de Compostela à noite, se as nuvens e a lua ajudarem, você verá uma faixa de luz leitosa e um tanto pálida cruzando o céu por sobre a cabeça desses peregrinos noturnos. É a Via Láctea, morada do nosso sistema solar, e, claro, do próprio planeta Terra, nossa casa no Cosmos.

Via Láctea - Codex CalixtinusA relação inseparável da Via Láctea com o Caminho de Santiago tem justamente seu registro histórico escrito mais antigo desde o século 12, no Codex Calixtinus. Mas desde muito antes do registro feito no Codex Calixtinus, o Caminho das Estrelas era o mapa escrito nos céus que orientava os peregrinos, desde tempos pré-cristãos, começando na pré-história, passando pelos celtas e depois pelos romanos durante o período de dominação da Península Ibérica. Assim, naqueles remotos tempos, para identificar a rota correta bastava caminhar para o Oeste, onde o sol se punha ao fim das tardes. Pela noite fechada, bastava identificar a estrela polar na Via Láctea para indicar onde estava o Norte, e dai ficava fácil continuar progredindo na direção Oeste (a mesma estrela polar que tanto ajudou nas grandes navegações do século XV a cruzar o Atlântico rumo às Américas).

Como a posição da Terra muda em relação aos astros celestes em função da estação do ano (verão, inverno, primavera ou outono), a Via Láctea se apresenta de formas distintas aos peregrinos em cada uma dessas estações. Ela se mostra em todo o seu esplendor no verão, bem tímida nas longas noites do inverno, e praticamente desaparecendo dos céus na primavera, podendo ser vista apenas no horizonte. Observando a Via Láctea à noite pelo Caminho de Santiago, o peregrino poderá sentir como os construtores de templos pré-cristãos, igrejas e catedrais na Idade Média se orientavam para marcar os lugares sagrados. Também a Via Láctea nos mostrará a cada noite ali percorrendo o Caminho de Santiago o quanto pequeno e insignificantes nós somos.

Comentários no Facebook

Redator
Paulo Fernandez

Paulo Fernandez

Consultor Santiago de Compostela

Paulo Fernandez é consultor da Nattrip para a peregrinação à Santiago de Compostela, tendo concluído o Caminho Francês desde Saint-Jean-Pied-de-Port em 1999.

Confira os Posts Mais Recentes sobre Trilhas no Rio de Janeiro
Confira as principais Trilhas e Aventuras no Rio de Janeiro

Veja também

TRILHAS DO RIO DE JANEIRO – TOUR VIRTUAL PELO GOOGLE EARTH
Após Confinamento Corona Virus procure realizar mais atividades ao ar livre
Roda Gigante Rio StarMarco Aurelio Neves Junior

Roda Gigante Rio Star

E-Book Rio de Janeiro

Como chegar na Pedra da Gavea Nattrip
Passeios baratos no Rio de Janeiro cover
O-que-fazer-em-Visconde-de-Maua
o que fazer em petropolis

Novidades

TRILHAS DO RIO DE JANEIRO – TOUR VIRTUAL PELO GOOGLE EARTH
Após Confinamento Corona Virus procure realizar mais atividades ao ar livre
Roda Gigante Rio StarMarco Aurelio Neves Junior

Roda Gigante Rio Star

Sochi cidade russa virou modelo para o turismo do país

E-Book Rio de Janeiro

Apoiadores e Parceiros
Associada a
Associada a
Receba nossas novidades

× Como posso te ajudar?