X

O que fazer no Algarve – Ecoturismo







O que fazer no Algarve – Ecoturismo



A maioria das pessoas associam o Algarve à verão, praia e sol. Por isso, quem visita a região em outras épocas do ano, muitas vezes fica sem saber o que fazer no Algarve.

É importante saber que o Algarve propõe diversas atividades relacionadas ao ecoturismo, como observação de golfinhos e vida marinha, observação de aves e passeios de barco para conhecer melhor a natureza da região.

Além disso há trilhos e percursos pedestres para praticar trekking no Algarve, há opções de escalada e canyoning no Algarve, dentre outras coisas legais para se fazer por toda a região.

O que fazer no Algarve – Ecoturismo

A Ria Formosa é um dos principais atrativos do Algarve. Quando nos perguntamos o que fazer no Algarve, a primeira coisa que vem à mente é a Ria Formosa. O local oferece alguns passeios bem interessantes.

É possível conhecer a biodiversidade do local, suas vegetações típicas e as zonas alagadas onde circulam as aves aquáticas de Portugal.

Ecoturismo no Algarve, existe sim! Conheça o Parque Natural da Ria Formosa

De importância internacional, o Parque Natural da Ria Formosa é um labirinto de canais, ilhas e restinga. Se estende ao longo de 60 km da costa do Algarve, entre as praias do Garrão e da Manta Rota. Saiba mais sobre o Parque.

Essa diversidade de ecossistemas atrai uma fauna variada que inclui inúmeras espécies de aves como a galinha-sultana, símbolo do Parque Natural. Se você quiser admirar este pássaro com sua plumagem colorida e saber tudo sobre a área protegida, comece sua visita no Centro de Educação Ambiental de Marim.

Acompanhado de um guia, você poderá conhecer os melhores trilhos e percursos pedestres, e os mirantes para observar a natureza. No Parque Natural da Ria Formosa, também há passeios em lancha tradicional, antigamente utilizada na pesca do atum.

O que fazer no Algarve

Ainda sobre o Parque Natural da Ria Formosa, na Ilha da Culatra é possível realizar uma visita a uma das comunidades de pescadores mais importantes do Sotavento Algarvio. A ideia é conhecer as tradições locais e como esta comunidade leva o dia-a-dia.

Os horários disponíveis para o passeio até lá são às 11 horas da manhã e depois às 15 horas. Tem duração aproximada de 3 horas e meia, e está disponível o ano todo.

Observação de Aves no Algarve

Na observação de aves, explora-se a zona do Ludo e da Quinta do Lago. Um guia poderá compartilhar informações da biodiversidade e dos aspectos culturais e econômicos do Parque Natural da Ria Formosa.

É possível observar espécies como o pernalonga, o alfaiate e o borrelho-de-coleira-interrompida. Durante o período estival destacam-se o pato-de-bico-vermelho, a perdiz-do-mar, o cuco-rabilongo, a alvéola-amarela e o picanço-barreteiro.

As saídas dos passeios de observação de aves são realizadas geralmente às 8 horas da manhã e costumam durar aproximadamente 3 horas. O passeio ocorre o ano todo.

Observação de Fauna Marinha no Algarve

Já nos passeios de observação da vida marinha, recomendamos a observação de golfinhos na costa do Algarve. A costa do Algarve é uma das regiões mais populares de Portugal para a observação de animais marinhos.

As espécies mais avistadas são o Golfinho-comum e o Golfinho-roaz. Há também ocorrências de avistamentos de Boto e de Baleia-anã, porém mais raros. Os horários disponíveis dos passeios de observação de vida marinha costumam ser no período da manhã, partindo às 8 horas da Marina de Ferro e às oito e meia da Marina de Olhão. Estes passeios normalmente têm duração de 2 horas e estão disponíveis de março a outubro.

Trilhos e percursos pedestres no Algarve

Além destas opções, não poderiam faltar os percursos pedestres no Algarve. São inúmeros os trilhos para caminhar pelo Algarve e conhecer seus diversos atrativos. Dentre os mais famosos está uma parte da Rota Vicentina. Por isso convidamos o leitor para conhecer mais sobre a Rota Vicentina.

A prática do trekking no Algarve e em todo Portugal

Antes de mais nada, vamos entender as denominações. Portugal possui denominações para seus percursos pedestres, assim como toda a Europa. No Algarve não seria diferente. Listamos aqui as definições e marcações para que os turistas possam entender o percurso em que estão e ajudar na orientação.

  • As denominações PR são os trilhos chamados de Pequena Rota, que não excedem os 30 km de extensão ou menos de uma jornada a percorrer, e são sinalizados a amarelo e vermelho.
  • Já os denominados PL são os Percursos Locais, que foram criados em Portugal a partir de 2006, onde mais de metade do trajeto se efetua em percurso urbano. São sinalizados a verde e branco.
  • As Grandes Rotas recebem a sigla GR. Possuem mais de 30 km de extensão e são sinalizados a branco e vermelho.
  • A nível europeu e baseados nas GR de Portugal, existem os Trilhos Europeus de Grande Rota, que usam a sigla GRP. Geralmente fazem uma volta em torno de um local ou zona particularmente interessante para permitir assim a descoberta de uma região.

Na Europa, com o apoio da Federação Europeia dos Percursos Pedestres, a European Ramblers Association (ERA), foram traçados 11 percursos europeus. Em Portugal, uma vez homologados pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal, os trilhos são marcados nos dois sentidos, segundo as marcas convencionadas.

Em Portugal as marcas são assim:

  • Grande Rota (GR) – branco e vermelho
  • Pequena Rota (PR) – amarelo e vermelho
  • Percursos Locais (PL) – verde e branco.

Os 15 melhores trilhos no Algarve

Separamos os 15 melhores trilhos no Algarve para os ecoturistas conhecerem e prepararem sua viagem:

  • Trilho dos 7 Vales Suspensos (PR1 Lagoa). Conheça mais sobre o trilho e a Praia da Marinha.
  • Trilho Pontal da Carrapateira (Aljezur). Conheça mais sobre Aljezur.
  • Trilho Endiabrada e Lagos Escondidos (PR3 Aljezur)
  • Trilho da Praia do Barril (Tavira). Conheça mais sobre Tavira ou também sobre a Praia do Barril.
  • Passadiços do Alvor – Os maiores passadiços do Algarve (Alvor)
  • Trilho e Passadiços da Ponta da Piedade (Lagos)
  • Trilho das Cascatas da Serra de Monchique (PR 5 Monchique)
  • Trilho da Rota do Guadiana (Alcoutim)
  • Trilho do Azinhal dos Mouros (PR9 – Loulé)
  • Percurso Pedestre da Fonte Benémola (PR16 Loulé)
  • Trilho da Rocha da Pena (PR18 Loulé)
  • Trilho do Ludo (Faro)
  • Trilho Sagres-Salema (Trilho dos Pescadores)
  • Trilho da Cordoama (Vila do Bispo)
  • E claro, não poderia faltar a Rota Vicentina, que cruza o Alentejo até Sagres no Algarve!

Guia profissional para percursos pedestres no Algarve

Os trilhos e percursos pedestres constituem uma modalidade de ecoturismo cada vez com mais adeptos. É um tipo de turismo que contribui muito para a promoção da natureza e cultura de Portugal.

A organização e o planeamento destes passeios, em especial os que promovem contato com ambientes naturais, exige uma série de atributos. Em especial a responsabilidade cívica e moral na orientação e promoção do bem-estar e da saúde, da segurança e da qualidade do serviço.

Guias profissionais estão qualificados para entregar muito valor aos turistas, do ponto de vista da segurança até o valor cultural agregado por quem conhece bem o local. Guias profissionais influenciam conhecimentos, atitudes e comportamentos no âmbito de atividades de ar livre.

Contratar um guia possibilita um enquadramento seguro aos praticantes, promovendo boas práticas ambientais, desportivas, culturais e sociais, promovendo um serviço turístico de excelência.

Por isso, considere contratar um guia profissional para suas caminhadas e divirta-se pelo Algarve!

Escalada e Canyoning no Algarve

O Algarve é uma região que promove muitas opções. A modalidade de escalada no Algarve é adaptada a outras modalidades que usam técnicas similares. Dentre as mais interessantes está o Canyoning, que mistura técnicas de escalada para percorrer o traçado de um rio ou cânion.

Nesta modalidade, os participantes se molham por diversas vezes, ao terem de saltar para a água. A travessia costuma ser cheia de passagens mais técnicas, saltos e curtos trechos onde é necessário nadar antes de voltar para os terrenos mais elevados.

O Canyoning é acessível a todas as idades, mas o participante precisa ser capaz de nadar. São vários níveis de dificuldade, dependendo da experiência prévia e capacidade física dos participantes. Há espaço para famílias e para aventureiros mais radicais.

Além do Canyoning, a modalidade de Coasteering é também bastante difundida na Europa. Em especial no território de Portugal, devido à suas inúmeras falésias à beira-mar.

Coasteering no Algarve

O Coasteering é uma modalidade que consiste em progredir ao longo da costa pelas rochas e pelo mar. Utiliza técnicas de natação, escalada, saltos e caminhada. A atividade exige cuidado, preparação segura e experiência. É imprescindível contar com um sistema de gestão da segurança, de modo a evitar acidentes.

O Coasteering teve início no País de Gales e fascina quem procura por adrenalina, algum exercício e bonitos visuais. Assim como o Canyoning, uma das melhores coisas do Coasteering é que quase todo mundo pode fazer isso, basta saber nadar.

Em Portugal existem vários locais que fornecem Canyoning e Coasteering baseados principalmente no Norte de Portugal onde existem os melhores Canyons no continente, além das ilhas dos Açores e Madeira.

O Coasteering mais famoso e próximo do Algarve está a 30 kms de Lisboa, no Parque Natural da Arrábida. Vale destacar que o Canyoning e o Coastering são atividades seguras quando acompanhados por um instrutor e guia profissional. Conheça mais sobre o Parque Natural da Arrábida.

Algarve o ano inteiro!

O Algarve pode não ser tão conhecido e divulgado pelas suas atividades de ecoturismo, mas nem por isso deixa a desejar. O destino propõe algumas modalidades desse tipo de turismo praticamente o ano todo. Possui a Ria Formosa, inúmeras praias, falésias, campos, bosques e diversas áreas com grande variedade de espécies de flora e fauna.

Conte com a Nattrip para ajudar-lhe a programar o que fazer no Algarve!














Anúncios