X

Rota das Carmelitas – Portugal










Rota das Carmelitas – Portugal



A Rota das Carmelitas é um Caminho de Fátima no território do Centro de Portugal, entre Coimbra e o Santuário de Fátima. Também conhecida como Rota Carmelita, este itinerário temático inspira-se na vida e na obra da Irmã Lúcia, uma das três crianças videntes de Fátima, que em 1947 ingressou no Carmelo de Santa Teresa em Coimbra e ali viveu atá sua morte em 2005. O percurso começa no Carmelo de Santa Teresa, junto do memorial da Irmã Lúcia. Tem 111 km, ao longo de muitos trilhos para caminhantes, onde a natureza é bela e a vida é tranquila.

Rota das Carmelitas propõe turismo e evolução espiritual

A Rota das Carmelitas é uma proposta de descoberta do território, onde é possível desfrutar da paisagem e da cultura. A fauna e flora, as serranias e os cursos d’água atravessados, oferecem de grande riqueza natural durante o percurso. As capelas pelo caminho, o contato com as pessoas, os espaços históricos patrimoniais, tudo são bons motivos para viver a Rota das Carmelitas!

Sendo um caminho de inspiração Carmelita, esta Rota é também um convite a percorrer quilômetros na evolução espiritual para a qual todos somos chamados. Para os religiosos, é uma Rota que encontra na vida e obra da Irmã Lúcia a inspiração desta jornada. Para todos, é um convite a fazer uma caminhada interior em comunhão com os elementos que nos rodeiam.

Partindo do Carmelo de Santa Teresa em Coimbra, a Rota Carmelita é um convite para alcançar o Santuário de Fátima através de 111 km desenhados nos concelhos de Coimbra, Condeixa-a-Nova, Rabaçal, Ansião, Bofinho, Seiça e Fátima. É um percurso alternativo aos grandes eixos rodoviários que oferece ao caminhante/ciclista.

As 6 etapas da Rota das Carmelitas

Etapa 1 Rota Carmelita: Coimbra – Condeixa-a-Nova

A Rota das Carmelitas inicia-se no Carmelo de Santa Teresa e percorre o conselho de Coimbra envolvendo o peregrino por espaços que convidam ao proveito da natureza e à meditação religiosa. Cidade cativante que possui uma história externa, com variedades de atrações turísticas interessantes.

Em 1948 a Irmã Lúcia entra no Carmelo de Santa Teresa, entregando a sua vida e divulgando a mensagem de Fátima. É possível visitar a Igreja, de estilo barroco, e ao Memorial, onde encontrará uma exposição dedicada a toda a vida da Irmã Lúcia. O local alberga peças únicas, de uso pessoal, além da recriação da sua cela, textos manuscritos e uma amostra do seu trabalho de correspondência.

A partir do Carmelo, o peregrino pode descer pela cidade até ao Largo da Portagem. Pode fazê-lo pela malha histórica de Coimbra, com múltiplos atrativos religiosos e culturais, pela Mata do Jardim Botânico ou mais diretamente através da Couraça de Lisboa, beneficiando com esta variante de uma vista panorâmica sobre o rio Mondego, os Mosteiros de Santa Clara e o Convento São Francisco.

Após a travessia do rio Mondego em direção a Santa Clara, poderá subir a Calçada da Rainha Santa até ao Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, a terceira variante, de onde desfrutará de uma vista única sobre a cidade.

A primeira etapa termina na vila palaciana de Condeixa-a-Nova, local com vários atrativos, desde o escritor Fernando Namora, à cerâmica inspirada na cerâmica de Coimbra do séc. XVII, ao prato de Cabrito assado ou mesmo à doce Escarpiada. Condeixa-a-Nova é um local com uma centralidade única, um concelho com recursos singulares que pontuam a Rota Carmelita na etapa seguinte.

Destaques da etapa:

  • Distancia: 16 km
  • Duração aproximada: 3h50m
  • Memorial da Irmã Lúcia
  • Cidade de Coimbra
  • Mosteiros de Santa Clara
  • Vista sobre a cidade de Coimbra
  • Vila palaciana de Condeixa-a-Nova

Etapa 2 Rota Carmelita: Condeixa-a-nova – Rabaçal

Condeixa-a-Nova é um local privilegiado por ter muitas histórias. É imperdível a visita ao Centro Interpretativo de Portugal Romano em Sicó (POROS) e às ruínas de Conimbriga, que a própria Rota das Carmelitas atravessa.

A cidade de Conimbriga era uma estação privilegiada da grande via romana que ligava Lisboa a Braga. É imperdível a visita ao Museu Monográfico e às ruínas desta cidade, ao redor da qual foram edificadas Villas, residências rurais que encontrará ao longo desta aventura, como seja a Villa do Rabaçal ou a Villa de Santiago da Guarda.

Depois de deixar as ruínas de Conimbriga, segue-se o Vale do Rio dos Mouros com belas paisagens. Com uma extensão de 4 km, o cânion fluviocársico deste rio faz transição entre a Bacia do Mondego e o Maciço de Sicó. Com extraordinário valor botânico e uma cascata impressionante, é este vale que o acompanhará até ao Rabaçal. O percurso, sobreposto com o Caminho de Santiago, propõe um passeio pela margem direita do Rio dos Mouros.

É na companhia deste rio que cruzamos lugares típicos como o Poço, a Fonte Coberta ou o Zambujal, e a Igreja que é digna de visita. É esta localidade que faz as despedidas do concelho de Condeixa-a-Nova nesta Rota.

Destaques da etapa:

  • Distancia: 13 km
  • Duração aproximada: 3h35m
  • Museu PO.RO.S
  • Ruínas romanas e museu monográfico de Conimbriga
  • Cânion Fluviocársico do Rio dos Mouros
  • Caminho paralelo ao Rio
  • Aldeia do Zambujal

Etapa 3 Rota Carmelita: Rabaçal – Ansião

O Vale do Rabaçal e a sua paisagem de natureza encantadora. Atravessado pela estrada romana que ligava Lisboa a Braga, este Vale apresenta solos secos e áridos, sobressaindo na paisagem a vinha e a oliveira, espécie símbolo de resistência e longevidade.

É recomendado parar em Rabaçal para visitar à Villa romana (e respetivo museu), e pela subida ao Germanelo, a vista é belíssima. O Alvorge dá as boas vindas a Ansião, deixando para trás o Vale do Rabaçal e abrindo caminho para a várzea de Santiago da Guarda. O caminho até a vila de Ansião é rural, com terrenos agrícolas.

Na aldeia da Granja encontra-se a Capela de N. Sra. da Orada, a edificação cristã mais antiga de Ansião. Também se pode visitar as ruínas de um Paço Jesuíta com inscrições preciosas e a Casa-Museu dos Fósseis de Sicó.

Destaques da Etapa:

  • Distancia: 19,50 km
  • Duração aproximada: 5h50m
  • Vale do Rabaçal
  • Villa Romana do Rabaçal
  • Queijo Rabaçal
  • Oliveiras milenares
  • Aldeias do Alvorge e da Granja
  • Complexo Monumental de Santiago da Guarda

Etapa 4 Rota Carmelita: Ansião – Bofinho

A quarta etapa da Rota das Carmelitas une a vila de Ansião à povoação do Bofinho, em plena serra e concelho de Alvaiázere. Até lá, a Vila de Ansião tem alguns lugares dignos de visitação: a Ponte da Cal, o Parque Verde, a Igreja Matriz ou a da Misericórdia. E a 3 km de Ansião encontra-se a Capela da Constantina.

Nas imediações da Venda do Negro entramos no maravilhoso Parque Ecológico Gramatinha/Ariques, a maior mancha ibérica de Carvalho-Cerquinho, espécie característica do Maciço Calcário de Sicó. Este parque intermunicipal, distribuído entre os concelhos de Penela, Ansião e Alvaiázere, concentra mais de oitocentas espécies vegetais e animais, entre as quais vários endemismos, como lírios e orquídeas selvagens que tornam a paisagem única.

O traçado central da Rota das Carmelitas percorre o oeste do concelho de Alvaiázere por entre quintas e lugares pitorescos até alcançar o Bofinho.

Destaques da etapa:

  • Distancia: 13,50 km
  • Duração aproximada: 3 h
  • Vila de Ansião
  • Parque Ecológico de Gramatinha e Ariques
  • Vila de Alvaiázere

Etapa 5 Rota Carmelita: Bofinho – Seiça

É em Bofinho que está o famoso “Olho do Tordo”, uma nascente de água que brota de um poço profundo, transformando-se numa ribeira pintada de branco na primavera. Esta ressurgência é um fenômeno geológico próprio das zonas calcárias, com água proveniente da subida do lençol freático.

A entrada no concelho de Ourém faz-se através da Freixianda, cuja igreja matriz, em honra de Nossa Senhora da Purificação, merece visita. Aprecie a tela de Santa Teresa de Ávila, responsável pela reforma desta Ordem em 1562, e parta à descoberta dos seus textos admiráveis. Até alcançar Seiça, a paisagem é pela Vinha Medieval de Ourém, na produção do vinho imperam técnicas ancestrais. A vindima das uvas das castas Fernão Pires (mosto branco) e Trincadeira (mosto tinto) é feita exclusivamente à mão. Aproveite a experiência!

Entre os povoados Maciço Calcário de Sicó-Alvaiázere e o Maciço Calcário Estremenho, recomendamos visita à igreja matriz de Rio de Couros e Caxarias, com o seu Largo abençoado por São Bartolomeu.

Destaques da etapa:

  • Distancia: 26 km
  • Duração aproximada: 5h50m
  • Olho do Torto (nascente e percurso)
  • Povoações de Rio de Couros e de Caxarias
  • Vinho medieval de Ourém

Etapa 6 Rota Carmelita: Seiça – Fátima

Em Seiça, sugerimos uma visita à Casa Museu, referente cultural do território, e à Igreja Matriz. Depois a cidade de Ourém dá as boas vindas à última jornada da Rota das Carmelitas. À entrada da cidade, visite o Memorial Jacinta Marto no Cemitério. Já no centro, procure a Casa do Administrador, edifício que acolheu os videntes em 1917 durante o interrogatório e que hoje é uma infraestrutura vocacionada para a difusão da identidade cultural e dos patrimônios de Ourém.

Propomos a visitação à Vila Medieval de Ourém, opção que o levará a usufruir de uma vista deslumbrante. Aprecie a Fonte Gótica, visite a antiga Igreja Colegiada, o Castelo e Paço dos Condes e deguste o vinho medieval e a ginjinha tradicional de Ourém. Os trilhos de beleza única conduzem-no de Ourém até Fátima.

Antes de alcançar o Santuário, passe pela Igreja Matriz, cujo primitivo edifício acolheu o batizado dos Pastorinhos. Ainda recomendamos como opcional a visita à aldeia de Aljustrel (casas dos pastorinhos) e ao Calvário Húngaro. Este local oferece uma vista panorâmica sobre todo o Santuário de Fátima, o ponto de chegada da Rota das Carmelitas.

Destaque da Etapa:

  • Distancia: 23km
  • Duração aproximada: 5h
  • Povoações de Seiça e Vale Travesso
  • Memorial Jacinta Marto e Casa do Administrador na Cidade de Ourém
  • Igreja Matriz de Fátima

Percorrer a Rota das Carmelitas não é fácil, mas vale a pena encarar essa jornada de peregrinação, com experiências incríveis, lugares e paisagens deslumbrantes. E quando chegar ao final desta Rota, o peregrino irá perceber que se superou, emanando sentimento de superação e de objetivo concluído, através de uma incrível viagem.